Inspiração: o real desenhado

3 7 julho 2014 | 14:37

Desde os tempos em que habitava as cavernas, o homem tenta representar seus pares e tudo que o cerca. E, ainda que recebam a alcunha de arte rupestre, temos que ser sinceros e dizer que nem sempre aqueles rabiscos encontrados em algumas formações rochosas se diferenciam de simples desenhos de crianças. Mas críticas de arte e brincadeiras à parte, a verdade é que retratar o mundo com a sua vitalidade não é fácil e tampouco é tarefa para muitos. 

Os poucos artistas que, com suas mãos e, ok, talvez um pouco de tecnologia, conseguem representar pessoas e objetos não só fazem bonito como nos inspiram com sua capacidade de colocar no papel aquilo que vêem, com todos seus detalhes e imperfeições. E se parece difícil colocar o mundo na folha em branco, o que se pode falar das animações, que combinam o analógico do desenho com o digital do cinema atual? Mesmo na era da computação gráfica e do aprimoramento digital, a ilustração continua a ser uma ferramenta vital na criação de sentido e de identidade na animação.

Falando em animação, já imaginou se seus personagens preferidos da telinha ganhassem tantos detalhes que se tornassem quase humanos? Foi o que fez o brasileiro Alexandre Salles com aquela turma que ninguém sabe que fim levou… A Caverna do Dragão! De acordo com o artista, que é citado pelo site MegaCurioso, ele usa técnicas de surrealismo e do fotorrealismo em seus trabalhos. E sabe tanto de desenho que chegou a fazer ilustrações para livros de Medicina, tamanha fidelidade aos detalhes. 

#1 Mestre dos Magos: se você já duvidava da bondade dele com o grupo de jovens perdidos, que se pode dizer depois dessa imagem?


[FONTE: MegaCurioso]

# 2 Diana e seu bastão parecem ainda mais perigosos do que na animação

#3 O cavalo do Vingador tem uma perna de fogo, o que está longe de ser possível na vida real, mas os músculos de ambos parecem ter sido talhados a muita malhação

Tirar personagens de desenhos animados da tela é divertido, e o resultado é, de fato, espantoso, mas navegando na internet encontramos outro artista que gosta de representar seus personagens com uma dose extra de realismo: a própria realidade. Mas como assim? Nós explicamos: o que Joel Daniel Phillips, de São Francisco, nos Estados Unidos, faz é usar seu talento para chamar atenção para indivíduos que diariamente são ignorados pela população. A diferença é que, ao invés da fotografia, Joel usa a ilustração e seus traços extremamente realistas para capturar um pouco das histórias talhadas nos rostos de indigentes que vivem nas ruas. E, o mais legal disso tudo: ele desenha com carvão.

#1 O homem e sua bicicleta


[FONTE: IdeaFixa]

#2 Quase dá para cheirar a fumaça do cigarro daqui

#3 A luz bate em seu rosto e o homem franze a testa

E, para finalizar a inspiração de hoje, um vídeo em timelapse do trabalha do italiano Marcello Barenghi, um designer gráfico que faz desenhos com grafite, lápis de cor e airbrush, também chamado de aerógrafo, instrumento utilizado para fazer pinturas com ajuda do ar que pode vir de um compressor ou de uma lata, como no caso dos sprays utilizados no grafite. Os trabalhos de Marcello, como ele mesmo diz, são cópias da vida, de outras de imagens e resultado da sua própria interpretação ou invenções da sua cabeça. 

 

Inspiração #85: Cultura pop e tradição

1 10 março 2014 | 08:52

Quem disse que o popular não é arte? Será que o erudito de hoje não era a mais simples representação da cultura local à sua época? Discussões acerca da definição de arte são sempre complicadas e intermináveis, mas não viemos aqui para concluir nada, viemos para mostrar e, é claro, inspirar. Hoje, mostramos três artistas que misturam estilos clássicos de arte ou técnicas milenares com cultura pop, trazendo um pouco de humor para suas obras e, também, provando que a inspiração para a arte não vem apenas do sublime e etéreo mas também das ruas, do imaginário coletivo e do popular

David Pollot define seu trabalho como arte com senso de humor. Ele procura quadros antigos em brechós, daqueles a que falta um pouquinho de vida, digamos assim, e adiciona elementos da cultura pop, como se fizessem parte do original. David se esforça para copiar cores e técnicas e nos fazer acreditar que o chewbacca foi, de fato, a inspiração original para essa paisagem:


Que bucólico.
[FONTE: David Pollot]


Quem vocês vão chamar?
[FONTE: David Pollot]


Zumbis na fazenda.
[FONTE: David Pollot]

Quem também faz um bom mix entre o tradicional e o moderno é Jeffrey Veregge, um designer que cresceu em uma reserva indígena norte-americana e, hoje, utiliza conhecimentos da arte Salish para desenhar personagens famosos. Formado no Art Institute of Seattle, ele afirma que sua arte é uma forma de unir sua paixão por brinquedos, quadrinhos e filmes com sua personalidade e formação como artista. Além de ser muito divertida. ;)  


Homem-morcego já é um ótimo nome indígena.
[FONTE: Jeffrey Veregge]


The Flash, também conhecido como flecha ligeira.
[FONTE: Jeffrey Veregge]

Por fim, Jed Henry é um ilustrador que, com a ajuda do gravurista David Bull, utiliza a tradicionalíssima técnica da xilogravura japonesa para retratar heróis populares na série Ukyio-e Heroes. Além das complexas gravuras feitas com madeira que vemos aqui, o artista também faz ilustrações com impressão giclée sobre o mesmo tema. Tem até batalha pokémon e cena do clássico videogame Street Fighter! 


Tartarugas ninjas milenares.
[FONTE: Ukyio-e Heroes]


Eu escolho você!
[FONTE: Ukyio-e Heroes]

Como vimos, o imaginário e as manifestações populares são, sim, fortementes ligados à cultura, seja ela pop ou erudita. O que hoje é tradicional, um dia foi um retrato do cotidiano de algum local ou grupo social específico. Para a educação não é diferente, a erudição pode e deve se inspirar na realidade, no dia a dia e nas necessidades de cada comunidade. Sobre esse tema, uma dica de leitura essencial é o livro Educação Social de Rua - As bases políticas e pedagógicas para uma educação popular, que aborda a educação social, trazendo novas definições, desafios e soluções para a área da pedagogia. 

Inspiração #55: Inspiração. Inspiração. Inspiração.

0 1 julho 2013 | 11:17

Sabe quando a gente repete uma palavra tantas vezes que ela perde o sentido? Quando a gente fala tanto a mesma combinação de letras e fonemas que começa a questionar como é que elas foram se juntar daquele jeito e já não se sabe onde começa uma palavra e termina outra? Então, o artista sueco Thomas Broome criou uma série de ilustrações chamada Modern Mantra (mantra moderno), que trata justamente desse conceito: a repetição. A intenção é usar o recurso para mostrar o quão absurdas podem ser as mensagens criadas pelas mais diferentes mídias – como imagens, música, filmes e publicidade. Nesses casos, a repetição é utilizada para criar necessidades e evocar desejos tão fortes no receptor das mensagens que grandes questões existenciais acabam passando batido. Ou seja, essas mensagens se tornam mantras que guiam suas vidas. 

Considerando suas preocupações com o repeteco, fica a dúvida se Thomas sobreviveria para teorizar sobre o tema após passar um carnaval ouvindo as músicas veranis brasileiras e seus estribilhos onomatopeicos cantados em looping (ai aiai, tchetchetchereretchetche, aiaiaiaiaiai e por aí vai). Deixando de lado as brincadeiras, as ilustrações são lindas e como a maioria se trata de cômodos, elas realmente dão a sensação de que as palavras vão nos esmagar ou abraçar. E, por meio da repetição, está passada a mensagem de que mensagens são passadas por meio de repetição. Sabe aquele filme Inception, que em português ficou A Origem? Pois é.


Imagine a paciência pra escrever cada palavrinha
Fonte: Thomas Broone


As imagens também são ótimas para aprender o nome dos objetos: fica a dica para os professores de inglês
Fonte: Thomas Broone


Um pouco menos de claustrofobia
Fonte: Thomas Broone


Fica a dúvida se essa é a ilustração de uma moça sofrendo em casa ou se a moça está sofrendo devido à casa que deram pra ela na ilustração
Fonte: Thomas Broone


Esta ilustração parece trazer uma mensagem bem consumista, não é mesmo?
Fonte: LiquidSquid 

Thomas Broone conseguiu expressar um conceito complexo por meio da ilustração, provando que, definitivamente, uma imagem vale mais do que mil palavras (tum dum tssss). Para quem concorda com a máxima ou está pensando em começar a rabiscar suas próprias mensagens ilustradas, que tal conferir a nossa sugestão de leitura Fundamentos da Ilustração, de Crush e Lawrence Zeegen? :-]

Inspiração #49: Cinco desenhistas que você precisa conhecer

0 15 abril 2013 | 17:58

Hoje é o dia mundial do desenhista! Não podíamos deixar esta data passar em branco, afinal, é um dia para se inspirar. o/ Selecionamos 5 desenhistas incríveis para você começar a semana cheio de ideias. Que tal dar uma olhada no trabalho destes verdadeiros artistas?

1. Gaikuo Captain: O ilustrador chinês faz desenhos incríveis com vários personagens superfamosos. O mais bacana é que ele mesmo interage com a obra! Demais, não?

2. Ricardo Liniers: O quadrinista argentino tem um traço simples e trabalha superbem com as cores! Os personagens das tirinhas são muito queridos e o texto dele tem boas pitadas de poesia. Além disso, Liniers já fez intervenções artísticas de rua e várias ilustrações para festivais de música. Fica a dica: o artista estará no Brasil no mês de Maio para a FestPoa Literária. o/


Tradução livre: Hoje Mafalda completa 50 anos.                                                      Como ela está inteira.

3. William Kentridge: o artista sul-africano não se limita apenas a uma forma de arte. Mas foi através dos desenhos que a obra dele se tornou marcante. Ele usa principalmente o carvão e trabalha metodicamente em uma mesma superfície. Cada alteração é fotografada e depois tudo é transformado em vídeo! A cada um minuto filmado, Kentridge leva em média uma semana. Seus temas são fortemente ligados à conjuntura social de seu país, como guerras e transformações ambientais.

4. Joshua Middleton: o designer americano trabalha com ilustração de animações, histórias em quadrinhos e livros. Ele já passou por grandes marcas como a DC Comics – na qual já fez histórias do Superman e Supergirl – e Warner Bros – trabalhando como diretor de arte de uma série do Lanterna Verde. Além disso, Joshua já publicou para diversas editoras e produtoras de cinema. É um desenho mais lindo que o outro!

5. Fernando Volken Togni: não podemos esquecer dos artistas do Brasil! O publicitário de formação utiliza principalmente técnicas digitais com cores supervibrantes. Fernando tenta retratar o cotidiano através de formas geométricas simplificadas. Seu trabalho já é reconhecido internacionalmente, tendo feito ilustrações de várias cidades do mundo. Ah! Ele também fez a identidade visual do Grupo A, que ilustra nossos cadernos, bloquinhos de anotações e fundos de tela. o/

E aí, que outro desenhista você acrescentaria à esta lista?

Se você curte desenhos e ilustração, vai adorar o nosso livro Fundamentos de Ilustração, de Zeegan. É ideal para quem quer construir uma carreira como ilustrador, trazendo diversos exemplos e entrevistas com profissionais da área! E o melhor: suas explicações são bem visuais e coloridas. ;-]

Inspiração da semana #18: A cura de Bobby Baker

0 10 janeiro 2012 | 14:58

Em 1996, a artista Bobby Baker foi diagnosticada com personalidade borderline. Pouco tempo depois, descobriu que tinha um câncer de mama. A solução para enfrentar o intenso desgaste físico e mental que a acometeu durante onze anos foi registrar, em um diário ilustrado, seu processo de cura. Ao todo, foram 711 desenhos – divertidos, emocionantes, inusitados, reveladores – que registram as diferentes fases do seu tratamento. Desses, ela optou por compartilhar 158, publicados em um livro no exterior. Confira algumas das suas surpreendentes obras:

Dia 303: registro de sua sessão de terapia em grupo.

Dia 320: chorando na aula de yoga.

Dia 397: os efeitos da medicação.

Dia 526: o pássaro colorido representa a esperança.

Dia 698: recuperação da quimioterapia.

Bobby Baker fala sobre seus desenhos nesta matéria do jornal britânico The Guardian.

Via.

Sobre o transtorno borderline, a Artmed Editora lançou os livros Transtornos da Personalidade, Terapia Cognitivo-Comportamental para Transtorno da Personalidade Borderline e Vencendo o Transtorno da Personalidade Borderline com a Terapia Cognitivo-Comportamental.

Inspiração da semana #13: Todas as pessoas de Nova York desenhadas

2 7 novembro 2011 | 17:08

Quatro anos atrás, Jason Polan traçou uma meta desafiadora para a sua carreira de ilustrador: desenhar cada uma das 8,391,881 milhões de pessoas que vivem em Nova York. Seu projeto Every Person in New York começou em março de 2008 e contém, até hoje, 807 ilustrações. Semanalmente, Jason publica suas criações no blog dedicado ao trabalho: de celebridades como as cantoras Patti Smith e Yoko Ono a anônimos dormindo no ônibus, ninguém escapa do seu traço simples e descompromissado. Confira uma seleção de cinco desenhos do artista, todos de pessoas lendo – nossos preferidos, é claro!

Conhece outros projetos legais para a gente divulgar aqui na Inspiração da Semana? Deixe suas dicas nos comentários. ;-)

Inspiração da semana #12: O desenhista Federico Fellini

0 31 outubro 2011 | 13:30

Há 18 anos, um dos maiores – e mais poéticos – ícones do cinema mundial, Federico Fellini, falecia. Diretor de filmes memoráveis como A Doce Vida, 8 ½, Satyricon, Amarcord e La Strada, o artista italiano influenciou de cineastas (Woody Allen e Martin Scorcese, por exemplo) a bandas (o visual dos B-52´s é retirado de suas obras). Muito já se discutiu sobre o seu incrível talento cinematográfico e sua habilidade em misturar sonho – inclusive usando a teoria de Carl Jung como fundamentação –, fantasia e desejos às suas histórias. Pouco se fala, no entanto, sobre a sua desenvoltura na área da ilustração. Fellini era um ótimo desenhista; em seu repertório constam criações a lápis e aquarela que retratam os sets de filmagens, ideias de vestimentas, atores e amigos. Na inspiração desta semana, confira uma seleção de oito desenhos de Federico:

Saiba mais sobre cinema no finalista ao Prêmio Jabuti Cinema e Loucura, de Landeira-Fernandez e Cheniaux. Dicas de ilustração você encontra em Fundamentos de Ilustração, de Zeegan.

Quer sugerir uma inspiração da semana? Escreva suas dicas nos comentários deste post!

Inspiração da semana #11: As divertidas ilustrações de Mary Blair

2 25 outubro 2011 | 11:12

A inspiração desta semana é dica do nosso designer Rafael Ocaña, fã confesso de ilustração. O Rafa nos chamou a atenção para a página inicial do Google na sexta passada: em vez do logo padrão da empresa, lá estava um doodle em comemoração aos 100 anos da artista Mary Blair. Para quem perdeu essa homenagem, este era o desenho:

Nascida nos Estados Unidos, Mary ficou bastante conhecida na década de 1940 e 1950 ao animar desenhos da Walt Disney. Entre seus trabalhos de sucesso destacam-se Peter Pan, Alice no País das Maravilhas e Cinderela. A ilustradora também pintou murais de atrações na Disneylândia e criou desenhos para livros infantis. Com um estilo colorido e despretensioso, Mary é, com certeza, uma inspiração a ser seguida. Alegre a sua semana com uma seleção de suas criações! :-)

Confira outras ilustrações de Mary Blair no Animation Archive. Saiba mais sobre ilustração com o livro Fundamentos de Ilustração, de Zeegan.

Cinco obras do pai da pop art

2 14 setembro 2011 | 16:32

"A pop art é popular, transitória, descartável, de baixo custo, produzida em massa, jovem, espirituosa, sexy, chamativa, glamourosa, e um grande negócio."

O autor desta frase é Richard Hamilton, considerado o pai do movimento que tem nele, em Roy Lichtenstein e em Andy Warhol seus maiores expoentes. Hamilton faleceu ontem e deixou uma obra criativa, prolífica e inspiradora como legado. Misturando imagens de revistas, fotografias e ilustrações em colagens irreverentes, ele foi capaz de transmitir as revoluções culturais de uma época. Seus trabalhos incluem ainda pinturas, desenhos e serigrafias.

Confira cinco criações do artista que será tema de uma grande retrospectiva em Los Angeles, Filadélfia, Londres e Madri em 2013/2014:

Sua criação mais famosa: Just What Is It that Makes Today's Homes So Different, So Appealing?, uma colagem de 1956. (© Richard Hamilton.)

I´m Dreaming of a Black Christmas, de 1971. (© Richard Hamilton.)

Swingeing London 67, de 1968-9. (© Tate/Richard Hamilton 2004.)

The Citizen, de 1981-3 (© Richard Hamilton.)

'AAH!' in perspective, um exemplo de suas ilustrações, de 1963. (© Richard Hamilton.)

Confira outras obras de Richard Hamilton no site do museu Tate.

Saiba mais sobre ilustração e desenho em Fundamentos de Ilustração, de Zeegan, e Desenho de Moda, de  John Hopkins.

Categorias:

Tags: , ,

Inspiração da semana #1: Walter Crane

2 15 agosto 2011 | 15:18

O artista de Liverpool Walter Crane inaugura com a tradicional elegância inglesa o nosso primeiro post da seção Inspiração da Semana. A partir de hoje, todas as segundas-feiras compartilharemos neste espaço algumas imagens para começar bem a jornada semanal: ilustrações, fotografias, portfólios de artistas, e o que mais possa levantar os ânimos daqueles que ainda não se conformaram com o fim do domingo. :-)

Nascido há exatos 166 anos, Walter Crane (1845-1915) foi um prolífico ilustrador de livros infantis. Integrante do movimento Artes e Ofícios, seu estilo tem como principais influências o grupo artístico pré-Rafaelita – que rejeitava o estilo de pintura clássica do Renascimento –, e o Ukiyio-e – técnica japonesa similar à xilogravura.

Chapeuzinho Vermelho, O Príncipe Sapo e A Bela Adormecida foram alguns dos célebres contos que ganharam versões desenhadas por Crane. Confira abaixo cinco intricados trabalhos do artista inglês:

Veja mais obras de Crane na página no Projeto Gutemberg. Para dicas sobre ilustração, confira a obra Fundamentos de Ilustração, de Zeegan.

Quer nos ajudar a escrever o Inspiração da Semana? Mande sugestões de post para bloga@grupoa.com.br. Aguardamos as suas dicas! ;-)

Tags

Sobre o BlogA

Será que de médico, artista e louco todo mundo tem mesmo um pouco? Aqui no BlogA você vai encontrar de medicina a design, de filosofia a psicologia, de ilustração a poesia; pinceladas divertidas de todas as áreas de publicação do Grupo A. Quer nos enviar dicas ou sugestões? É só escrever para bloga(arroba)grupoa(ponto)com(ponto)br.

Eventos do Grupo A

<dezembro de 2014>
domsegterquaquisexsáb
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910